Posts by Douglas Medina

[ESPECIAL] O que é CRO e como aumentar a conversão no ecommerce

Se você deseja não apenas otimizar o site e aumentar a conversão, mas tornar o serviço o mais conveniente possível para o cliente, este artigo é para você.

 

O que é a otimização de conversão de e-commerce centrada no cliente?

A otimização de conversão (CRO) é uma abordagem prática para aumentar a porcentagem de usuários que concluíram uma ação direcionada no site. As ações-alvo podem ser: comprar um produto, assinar um serviço, seguir um link etc. A desvantagem dessa definição é que ela concentra a atenção nos números e distrai os usuários que estão por trás dessas métricas.

A otimização de conversão centrada no cliente é focada no que impulsiona e motiva os clientes. Você se preocupa com a facilidade de uso e o valor e, por isso, aumenta sua taxa de conversão. Portanto, existem vários fatores que precedem a conversão:

  • Incentivos que trazem usuários ao site;
  • Obstáculos que os fazem desistir da compra ou os forçam a sair da loja;
  • Motivos que os incentivam a executar ações direcionadas.

Ao trabalhar para melhorar a conversão, deve-se ter em mente que nem todos os problemas podem ser expressos em números ou suportados por números, e nem sempre há uma solução clara. Às vezes, um erro óbvio é a causa de 80% das falhas e a solução de problemas pode salvar os negócios.

Mas também acontece que o site, na opinião da empresa, resolve todos os problemas, mas as vendas são insignificantes. E é aí que você precisa se aprofundar para descobrir o que está acontecendo e se concentrar nos usuários. É para isso que o CRO realmente deve estar orientado.

 

Qual deve ser a taxa de conversão média de um e-commerce?

Dependendo das fontes, a taxa de conversão para o comércio eletrônico varia de 1% a 4%. Há vários fatores que você deve considerar ao analisar a RC média:

  • O CRO pode depender de diferentes ações direcionadas (cliques nos anúncios, finalização da compra, assinatura de um boletim informativo etc.);
  • Cada site, página, produto e consumidor é único, possui características próprias;
  • A média varia muito entre os nichos. Por exemplo, para um hipermercado, o coeficiente de 1,1% é um indicador muito bom e para entrega de alimentos – 15% é extremamente baixo;
  • A maioria das empresas não compartilha dados de conversão relevantes, o que afeta as estatísticas gerais.

 

Conversão média de e-commerce por nicho

As médias são úteis no início da análise das práticas de mercado, mas não há limite no qual se concentrar. Ficar preso na média e tentar permanecer nesse nível não é a abordagem de CRO mais eficaz. Vale a pena focar em um profundo entendimento do que realmente importa para os usuários. A solução para esse problema afetará diretamente a taxa de conversão.

 

Por que as técnicas CRO padrão de comércio eletrônico são perigosas?

Existem muitas técnicas e abordagens para otimizar sua taxa de conversão que garantem resultados, por exemplo:

  • Usando uma cor contrastante para os botões de CTA (call to action);
  • Usando um timer para estimular vendas;
  • Conclusão de análises sobre o site ou produto e outras evidências sociais;
  • Usando menos campos de formulário etc.

Se isso funcionará no seu site é discutível.

Primeiro, as melhores práticas são técnicas antigas e não há garantia de que serão eficazes no ambiente atual.

Em segundo lugar, se funcionou para alguém, também pode não ser eficaz para o seu site. Portanto, você não deve aplicar cegamente técnicas padrão enquanto empresas mais atuais experimentam e aprimoram as abordagens existentes que em breve se tornarão “novas práticas recomendadas”.

Mas há um princípio chave que é sempre relevante. Trata-se de construir uma empresa centrada no cliente e centrada no usuário. Os clientes são os que sabem melhor o que precisa ser aprimorado. Concentre-se nas necessidades e desejos dos usuários, em suas dúvidas e medos. Resolver esses problemas é a melhor estratégia para otimizar suas taxas de conversão.

 

Melhores ferramentas de CRO para comércio eletrônico

Cabeça, olhos e ouvidos são as melhores ferramentas para entender os usuários, melhorar o serviço, obter informações e fazer alterações na sua estratégia de otimização da taxa de conversão.

 

Como uso essas ferramentas gratuitas?

  • Ouça o que os usuários dizem sobre o produto e / ou serviço;
  • Mergulhe em um nicho;
  • Acompanhe como as pessoas usam seu serviço;
  • Converse com desenvolvedores e designers;
  • Converse com a equipe de vendas e suporte;
  • Desenhe interações entre diferentes fontes de feedback.

 

Três métodos principais de CRO

Existem três métodos principais de uso de ferramentas de coleta e processamento de dados.

 

Um método quantitativo para entender o que está acontecendo

O método quantitativo ajuda a coletar dados numéricos para rastrear o que está acontecendo no site. Pode ser implementado usando as seguintes ferramentas:

  • Ferramentas de análise básica que rastreiam o tráfego do site, como o Google Analytics;
  • Mapas de calor, que exibem o número de cliques, rolagens e movimentos na página;
  • Ferramentas de funil que mostram para onde os usuários estão saindo;
  • Ferramentas de análise de formulários;
  • Ferramentas de avaliação da satisfação do cliente, que medem a satisfação do cliente em uma escala de 0 a 10;
  • Ferramentas que usam o Net Promoter System (NPS) para medir a probabilidade de as pessoas recomendarem seu site ou produto em uma escala de 0 a 10.

 

Um método qualitativo para entender por que isso está acontecendo

O método qualitativo ajudará você a coletar dados qualitativos (não numéricos) para entender por que os visitantes do site estão se comportando de uma certa maneira.

  • Ferramentas de feedback no site (votação na página, popups, pesquisas), onde os visitantes podem deixar um comentário e contar sobre a sua impressão no site. Portanto, ao realizar uma análise, podemos, colocar um popup perguntando, “Por que você está saindo do checkout?”;
  • Ferramentas de teste de usabilidade;
  • Revisões online em que os usuários podem compartilhar suas impressões de um produto ou marca.

 

Método de teste e medição de alterações

Depois de coletar dados quantitativos e qualitativos, você terá uma ideia clara do que está acontecendo no site. Agora é hora de fazer alterações. O método de teste permite comparar opções e determinar o mais eficaz para garantir que a otimização da conversão esteja indo na direção certa.

  • O teste A / B é adequado para sites de alto tráfego. Essas ferramentas são usadas para testar diferentes variações de página.
  • Ferramentas analíticas para rastrear conversões;
  • Ferramentas de feedback para coletar feedback qualitativo e quantificá-lo para que você possa comparar as respostas antes e depois da mudança.

 

3 elementos principais de CRO eficaz

A principal coisa que você precisa fazer para uma estratégia eficaz de otimização de conversão do seu e-commerce é identificar três elementos principais:

  • Incentivos que levaram as pessoas a acessarem o site;
  • Obstáculos que pararam os usuários ou por causa dos quais eles saíram;
  • Os motivos que os convenceram a realizar a ação-alvo.

 

Etapa 1: Determine por que as pessoas acessaram seu site e como elas o encontraram

O que exatamente motivou as pessoas a virem ao site e de onde elas vieram. Foi uma consulta de pesquisa específica, recomendação, anúncio ou outra coisa? Para não adivinhar, basta perguntar aos próprios usuários.

 

Crie personas de compradores e defina o que eles estão procurando no site

Nas páginas mais visitadas, crie um questionário rápido com três perguntas em aberto, como:

  1. Pergunta sociodemográfica para determinar o público do site: Como você se descreveria em uma frase?
  2. Pergunta de incentivo: Qual o principal motivo da sua visita?
  3. E a pergunta final sobre o que pode impedir os usuários de executar a ação direcionada: Existem obstáculos que podem impedi-lo de assinar / comprar / registrar?

 

Etapa 2. Encontre fatores que dificultam a conversão

Sem saber onde e por que os visitantes saem do site, é impossível melhorar a qualidade do serviço ao cliente e aumentar a conversão. Encontre os principais fatores que impedem os usuários de executar a ação direcionada.

 

Determinar onde exatamente as pessoas saem do site

O plano de ação é o seguinte:

  1. Encontre as páginas mais problemáticas, onde você perde mais visitantes. No Google Analytics, essas são as páginas com as maiores taxas de rejeição ou saída.
  2. Verifique estas páginas quanto a erros de usabilidade para encontrar pontos fracos e pontos de crescimento.

Crie um plano de ação para remover as três principais barreiras à conversão.

  1. Verifique as páginas com a maior taxa de rejeição quanto a erros de interface.

 

Descubra por que as pessoas deixam o site

Para entender por que os visitantes deixam o site, faça o seguinte:

  1. Observe como os usuários interagem com cada página.
  2. Encontre o que deixa os visitantes insatisfeitos.
  3. Pergunte sobre o motivo de sair. É aqui que o intent-popup é útil.

 

Etapa 3. Descubra o que motiva os clientes a agir.

Ao entender o que motiva clientes e usuários comuns, você pode determinar o que usar e o que desistir para atrair novos clientes. Para isso, identifique os principais motivadores e objeções dos usuários.

  1. Verifique com os clientes o que os motiva a executar ações direcionadas e o que os impede.
  2. Peça aos usuários que descrevam em detalhes quais preocupações, dúvidas e medos eles têm sobre a compra de um produto.

 

[ESPECIAL] Redes sociais para ecommerce: aprenda criar um planejamento de conteúdo

Com o surgimento da tecnologia digital nos últimos anos, o uso de redes sociais para vender está se mostrando uma solução eficaz. Para uma empresa hoje, é impossível ignorar as redes sociais em sua estratégia de comunicação, essas redes sociais são até vitais para algumas empresas. De fato, quase 80% dos comerciantes eletrônicos usam redes sociais para fins comerciais.

Com o Twitter, Instagram, Facebook, LinkedIn e etc, a lista de redes sociais é grande. No entanto, para aproveitar ao máximo o potencial das redes sociais e otimizar suas chances de sucesso, é necessário segmentar adequadamente cada rede social, porque nem todas elas são adequadas para o seu negócio. Isso dependerá de vários fatores, como sua atividade, seus objetivos e conteúdo que você deseja compartilhar. Neste artigo, fizemos uma lista das redes sociais mais populares do nosso país e forneceremos todas as chaves para você escolher, mas também usar as redes sociais mais adequadas para o seu comércio eletrônico.

Uma estratégia de mídia social pode ser integrada à estratégia de desenvolvimento e comunicação da sua loja online. Saiba mais sobre o uso de redes sociais para comércio eletrônico, além de adquirir as cordas do gerenciamento de projetos online.

 

Por que usar redes sociais para vender?

Com vários milhões de usuários no Brasil, estar presente nas redes sociais se tornou uma necessidade para ser visível. De fato, entre esses usuários provavelmente estão alguns de seus clientes e seus futuros clientes. A mídia social mudou claramente a maneira como os consumidores reagem à sua marca, descobrem seus produtos e tomam decisões de compra.

 

Venda social

A venda social é um processo que consiste no uso de redes sociais no processo de vendas para desenvolver seus negócios. O objetivo é detectar usuários que sejam potenciais compradores e convertê-los em clientes em potencial. É um processo de pesquisa, seleção, interação com potenciais clientes via redes sociais.

 

Seja visível nas redes sociais

Estar presente nas redes sociais permite que você seja visto, para divulgar sua marca, é uma maneira muito boa de melhorar sua notoriedade. Você tem a oportunidade de promover seus produtos e também de buscar novos clientes. Não importa qual é o seu objetivo de negócios, se você compartilhar o conteúdo certo nas mídias sociais, no momento certo, na plataforma certa, você terá todas as chances de alcançá-los.

Além disso, é um excelente canal para melhorar seu SEO e o tráfego de seu comércio eletrônico, quanto mais pessoas falam sobre você nas redes sociais, mais visível você é, mais seus clientes compartilharão seu conteúdo e mais a possibilidade de tocar em novos clientes será ótimo.

 

Fique mais perto dos seus clientes graças às redes sociais

As redes sociais são uma das melhores ferramentas para permitir que você se aproxime de seus clientes e clientes em potencial graças à segmentação deles. Você poderá entrar em contato com eles diretamente nas redes sociais, respondendo às perguntas deles, agradecendo-lhes pelo interesse em sua empresa ou para mantê-los informados sobre suas notícias. Além disso, através dos vários feedbacks de seus clientes, você poderá melhorar seus produtos ou serviços. As redes sociais são uma mina de informações para monitorar e conhecer as necessidades dos consumidores do seu setor.

As redes sociais também são a possibilidade de fidelizar uma comunidade que atenda às suas expectativas em termos de compras, feedback, mas acima de tudo, que pode atuar como um grupo de embaixadores da sua marca.

 

Escolha suas redes sociais de acordo com sua atividade

A lista de redes sociais é vasta, mas antes de sair se registrando em qualquer uma, você precisa saber em quais redes sociais seu objetivo está. Aqui estão as redes sociais mais populares e mais usadas no Brasil:

 

Facebook, líder em redes sociais

Facebook tem mais de 2,45 bilhões mensais usuários ativos e cerca de 130 milhões de visitantes únicos por mês no Brasil. É a rede social de referência no Brasil e é particularmente adequada ao e-commerce.

O Messenger, também parte do Facebook, juntamente com o WhatsApp e o Instagram, também atrai um grande público, com mais de 1,3 bilhão de pessoas usando mensagens instantâneas por mês, trocando um total de 20 bilhões de mensagens.

Enquanto isso, o WhatsApp atrai 1,6 bilhão de usuários mensais.

 

Público

O Facebook tem muitos usuários, resultando em uma pluralidade de perfis que podemos encontrar na rede social. Assim, todas as categorias de pessoas estão representadas, a idade média dos usuários é de 25 a 34 anos, com uma distribuição masculino / feminino inclinada levemente para o lado dos homens (na faixa etária de 25 a 34 anos, os homens estão presentes em 19% enquanto mulheres em 13%).

 

Metas

  • Construa uma comunidade e retenha-a;
  • Retransmitir conteúdo e seus produtos;
  • Destacar informações gerais e a vida da empresa.

 

Quando publicar

Vários dias podem ser considerados ótimos para postar no Facebook. Podemos mencionar notavelmente o início da semana: segunda – feira, mais especificamente. Também encontramos o fim de semana as sextas, sábados e domingos.

Os horários ideais são 9h, 13h e 15h.

 

Ferramentas

  • Anúncios do Facebook: uma ferramenta de promoção que permite segmentar com precisão os usuários da Internet. Por exemplo, você pode segmentá-los por sexo, idade, local, área de interesse etc.
  • Facebook Marketplace: colocando vendedores e compradores em contato com anúncios de vendas online.
  • Facebook Insight: ferramenta para todos os administradores da página da sua empresa. Ele permite que você analise seu público-alvo através de inúmeras estatísticas sobre publicações e engajamento.
  • Pixel do Facebook: ferramenta de análise que permite avaliar a eficácia de sua publicidade acompanhando as ações realizadas pelas pessoas no seu site.

 

Dicas

  • Publique conteúdo visual (vídeos e imagens), esses são os tipos de conteúdo mais compartilhados. Vídeo é o tipo de postagem com a maior taxa de engajamento (8,29% por postagem).
  • Aposte no engajamento e na qualidade de suas postagens, não na quantidade.
  • Use a publicidade online dos anúncios do Facebook para ficar visível, pois o alcance do Facebook está ficando cada vez menor.

 

Instagram e o apelo visual

O Instagram, criado em 2010 e adquirido pelo Facebook em 2012, está crescendo e se tornou uma das redes sociais mais populares entre os jovens. A plataforma móvel possui 1 bilhão de usuários ativos por mês, incluindo 60,1 milhões de brasileiros. Todos os dias, 500 milhões de histórias são postadas na rede. É a rede social do M-commerce.

 

Público

Por volta de 71% dos usuários ativos do Instagram têm menos de 35 anos. A faixa etária 25/34 é dominante e é seguida pelos usuários na faixa etária 18/24.

Entre todos os usuários, 52% são homens e 48% são mulheres, tornando essa rede com paridade quase perfeita.

O tempo médio diário de uso do Instagram é de cerca de 53 minutos.

 

Metas

  • Destaque sua atividade, seu feed representa sua identidade.
  • Promova seus pro
  • Aproxime-se da sua comunidade (mostrando os bastidores com histórias, por exemplo).

 

Quando publicar

No Instagram, segunda e quinta – feira são considerados os melhores dias para postar. Em geral, são os dias da semana, de segunda a sexta-feira, que você deve priorizar para suas postagens no Instagram. Os melhores horários de publicação são pela manhã , quando os usuários acordam (das 7 às 9 da manhã) e no final da tarde (das 17 às 18 horas), sempre fora do horário normal de trabalho e de aula.

 

Ferramentas

  • Instagram Shopping: ferramenta que permite adicionar um link de produto diretamente às suas fotos (a publicidade do Instagram é gerenciada no Facebook, você deve primeiro fazer upload do seu catálogo para o Facebook e o Instagram irá importá-lo).
  • Instagram Business: vinculada à sua conta do Facebook, esta ferramenta permite que você anuncie no Instagram. Existem 2 tipos de anúncio no Instagram: no formato de postagem (imagem ou vídeo) ou no formato de matéria. Nota importante: para poder adicionar links às suas publicações, você deve ter 10.000 seguidores.
  • Snapppt: ferramenta gratuita que transforma fotos postadas no Instagram em uma folha de produtos.

 

Dicas

  • Tenha uma identidade visual bastante forte (com fotos e vídeos de qualidade).
  • Demonstre autenticidade e espontaneidade no stories.
  • Use hashtags relevantes para serem encontradas com mais facilidade (aposte na qualidade das hashtags e não na quantidade, a média recomendada é 10). É importante entender quais hashtags mais usadas e seguidas pelos seu público.
  • Comunique-se através de influenciadores.

 

Youtube, a plataforma de vídeo

Embora o YouTube não possa ser considerado uma rede social completa, a plataforma de vídeo oferece muitas possibilidades para lojas online. O YouTube é o segundo site mais visitado do mundo, atrás do Google. Um benefício para a Alphabet, empresa controladora do Google que também comprou o YouTube.

Globalmente, o gigante do vídeo atrai mais de 2 bilhões de usuários mensais. No geral, mais de 80.000 vídeos são visualizados a cada segundo. Na Brasil, são mais de 100 milhões de visitas únicas por mês. Obviamente, se você não criar conteúdo de vídeo, infelizmente precisará esquecer esta plataforma.

Mas os brasileiros são muito atraídos pelo YouTube e por seus criadores de vídeos.

 

Público

O YouTube reúne todos os tipos de usuários, mas uma faixa etária é predominante na plataforma: pessoas de 25 a 49 anos representam 52% dos usuários na Brasil.

Observe também que as pessoas de 18 a 34 anos gastam, em média, 46 minutos assistindo a vídeos, a cada visita, e que 93% dos brasileiros acessam o YouTube pelo menos uma vez por mês.

 

Metas

  • Ganhe notoriedade e
  • Promova seu SEO e traga tráfego.
  • Mostre seus produtos em vídeo.
  • Aproxime-se do consumidor por meio de vídeo.
  • Humanize seus negócios.

 

Quando publicar

Para o YouTube, as visualizações seriam maiores nos finais de semana do que nos dias da semana. Porém, as divulgações feitas durante a semana podem ser feitas entre as 19h e às 23h. Também haveria um pico entre as 21h e às 23h, quando você pode atingir os horários mais populosos e ativos da época.

 

Ferramentas

  • YouTube Analytics: ferramenta que fornece estatísticas detalhadas para medir o sucesso de seus vídeos.
  • TubeBuddy: ferramenta de diagnóstico que examina seu vídeo para ver se ele está configurado corretamente e otimizado para gerar visualizações.
  • KineMaster: ferramenta de edição de vídeo fácil de usar, acessível em smartphones.

 

Dicas

  • Crie uma conta do YouTube apenas se você puder gravar vídeos de forma recorrente.
  • Tenha uma identidade visual e seja autêntico.
  • Tenha um bom material.
  • Trabalhe bem em suas palavras-chave, títulos e descrições para que seu canal e vídeos sejam facilmente encontrados.

 

Conclusão

É claro que existem outras redes sociais, cada uma reunindo suas especificidades e comunidades.

Hoje, está se tornando muito complicado ou até impossível ficar sem redes sociais para o seu negócio. Ser visível na internet e nas redes sociais não é sinônimo de estar em todos os lugares ao mesmo tempo, não há sentido em se espalhar. É importante ter uma estratégia clara de acordo com sua atividade e seu objetivo. Agora você tem todas as chaves para escolher quais redes sociais usar para o seu negócio.

 

 

[ESPECIAL] Como atrair visitantes e gerar tráfego no seu ecommerce: 3 táticas infalíveis

Aumentar o número de visitantes de uma loja virtual é um dos principais objetivos de comerciantes online. Isso nem sempre é fácil. De fato, criar um site e vender produtos na internet exige investimento, mas também muito conhecimento e habilidades. Uma vez funcionando, teremos que atrair visitantes e constantemente buscar estratégias eficazes para aumentar este número. Como fazer? Aqui estão 3 táticas para aumentar o tráfego de um site de comércio eletrônico.

Dica 1: Aumentar o tráfego de um e-commerce usando redes sociais

Organizar concursos e sorteios em suas redes sociais para promover seus produtos

Todo mundo gosta de uma promoçãozinha. Organizar concursos e sorteios nas suas redes sociais, como Facebook e Instagram, pode atrair muitos clientes em potencial. Além disso é uma forma eficaz de aumentar sua comunidade, apresentar aos usuários da Internet os produtos na loja virtual e expandir seu número de clientes.

Encontre parceiros para aumentar sua notoriedade

Marketing de influência é uma técnica muito popular, que envolve a testagem do seu produto por um parceiro confiável, um blogueiro, por exemplo. Claro que é importante que o conteúdo do influencer esteja relacionado aos produtos à venda na sua loja online. Em troca, ele publica um conteúdo sobre o seu produto, compartilha sua opinião em suas várias redes sociais e pode até organizar uma competição, a fim de oferecer o mesmo produto a um de seus assinantes. Graças a essas parcerias, o comerciante pode tirar proveito da comunidade do influenciador para alcançar um novo público, aumentar seu número de seguidores e o tráfego da sua loja.

Use publicidade paga para aumentar o tráfego

A publicidade paga permite que você segmente o seu anúncio para o público certo. No Facebook, é possível selecionar critérios muito específicos, como localização, comportamento, centro de interesse e outros mais. Com o Instagram ela vai atingir um grande público, especialmente jovens.

Uma opção também permite que os visitantes sejam direcionados ao seu site de comércio eletrônico. O uso do Google Ads permite selecionar palavras-chave e atribuir um lance a elas. Se um usuário da Internet clicar nesse anúncio presente no mecanismo de pesquisa, o custo será o preço do clique. Não hesite em usar o remarketing ou o redirecionamento para atrair usuários que já visitaram o site.

 

Dica 2: Técnicas de SEO para gerar mais tráfego orgânico na sua loja online

O melhor dos melhores para quem tem um site de comércio eletrônico é estar presente nos primeiros resultados dos mecanismos de pesquisa. Para isso é necessário:

  • otimize seu site (design, ergonomia e acessibilidade);
  • produzir conteúdo otimizado para SEO (Search Engine Optimization);
  • incentivar o usuário a agir: comprar um produto, ler um artigo, deixar um comentário;
  • obtenha tráfego de qualidade através de backlinks;
  • analise seu tráfego usando ferramentas como o Google Analytics ou o Search Console.

No entanto, são necessárias habilidades reais para alcançar o SEO ideal para sua loja virtual. Vamos falar um pouco mais sobre no decorrer do artigo.

Por que você precisa de otimização de SEO?

O SEO terá um efeito positivo na promoção do seu site, classificando-o melhor nos resultados dos mecanismos de pesquisa. Assim, será visível para um público maior na Internet, o que aumentará sua presença e popularidade. Se o seu site estiver bem otimizado, isso significa que ele será classificado mais alto nas palavras-chave de pesquisa nos resultados do mecanismo de pesquisa. Isso aumentará o tráfego do site e o tornará mais popular e famoso. Se você deseja ter um resultado bom e eficaz e seu e-commerce estiver na vanguarda da pesquisa, é muito importante que seja bem indexada e otimizada. Quanto maior a sua classificação, mais popular serão seus negócios e sua marca. Isso ganhará a confiança de um número maior de visitantes e a probabilidade de atrair mais clientes futuros será significativamente maior.

O mais importante para qualquer empresa é cuidar da experiência dos clientes.

  • Melhor acessibilidade e utilidade para o usuário.
  • Melhor classificação para estar à frente da concorrência.
  • Autoridade e popularidade para sua marca e negócios.
  • Mais tráfego e mais leads.

 

Como funcionam os mecanismos de pesquisa?

A principal função do Google e de outros mecanismos de pesquisa é ajudar os usuários da Internet, direcionando-os para o conteúdo da Web mais relevante e mais próximo que eles pesquisarão na Web. A filtragem de palavras-chave e o valor do conteúdo determinam quão relevante é e o local determina a proximidade e a distância do local físico do usuário. O principal objetivo é alcançar a pesquisa mais eficaz e garantir a localização mais precisa dos resultados relevantes e uma experiência satisfatória do usuário. Nesse sentido, existem vários elementos importantes que precisam ser considerados durante a otimização de SEO e que realmente determinam os principais estágios.

 

Etapas básicas de otimização

Antes de avançar para a otimização de SEO do seu site, é aconselhável ler e aprender mais sobre o processo e o que ele envolve. Familiarize-se com as etapas do procedimento, a dificuldade e a complexidade de trabalhar no projeto. Porque tudo isso estará relacionado à campanha eficaz de SEO e a toda a estratégia estratégica para o desenvolvimento do site e determinará o preço final para sua otimização.

O processo de otimização requer habilidades e experiência profissionais especializadas, trabalho sério e diligência por parte do otimizador. Não há garantias ou esquemas para obter resultados rápidos. O procedimento é complexo e inclui alterações na estrutura e no conteúdo do site SEO OnPage – Melhorando a qualidade e a quantidade de informações textuais. Saturação suficiente e excessiva das frases-chave selecionadas para a respectiva página. Acelere o carregamento da página. Melhore a navegação da página e os links internos. SEO OffPage – Obtenha backlinks de qualidade.

Os robôs do Google e outros mecanismos de pesquisa usam algoritmos e mecanismos proprietários diferentes para determinar quais páginas da Web são classificadas em primeiro lugar na pesquisa. A fórmula exata para isso é o segredo deles, mas há algumas coisas que você pode fazer para melhorar a classificação do seu site. Quais são as principais fases pelas quais o trabalho passa?

 

1. Análise, pesquisa e planejamento

Análise inicial de SEO do site e construção de um plano estratégico abrangente para sua otimização.

2. Definindo o público do usuário

Determinar, especificar e analisar o público e o mercado para o qual o e-commerce será direcionado, dependendo do assunto, do tipo de serviços ou produtos e da natureza da atividade.

3. Pesquisa de concorrência

Pesquisa sobre o desempenho dos sites concorrentes mais bem classificados nos mecanismos de pesquisa, a fim de formar uma estratégia de marketing eficaz que será usada para alcançar o posicionamento desejado do seu site em relação aos concorrentes.

4. Escolha de palavras-chave

O mais importante para você, palavras-chave e frases devem ser pré-planejadas e cuidadosamente selecionadas com base no volume de pesquisa no Google, no número de sites concorrentes e para avaliar como eles são apropriados para seus negócios e serviços. A escolha certa e o uso correto das palavras-chave é uma etapa importante do SEO, pois depende de como você se apresentará na Internet, de como e até que ponto será possível descobrir.

 

Dica 3: Marketing de conteúdo

Uma forte estratégia de conteúdo deve estar no centro das iniciativas de marketing digital de todas as marcas de comércio eletrônico.

De acordo com um estudo, 75% dos profissionais de marketing de B2C consideraram o planejamento o fator mais importante no sucesso no marketing de conteúdo. Apesar disso, só 38% dos profissionais de marketing têm uma estratégia de conteúdo bem documentada.

Portanto, quem vende na internet e ainda não tem uma estratégia de conteúdo, agora é a hora de iniciar o seu planejamento.

 

Estabelecimento de metas

Antes de pensar numa estratégia de conteúdo, é essencial definir as metas certas. Metas são os resultados que uma empresa deseja alcançar por meio de sua campanha de marketing. Isso pode ser um aumento nas vendas, no envolvimento do cliente, nos leads, no reconhecimento da marca ou na fidelidade do cliente.

Depois que as metas são identificadas, a próxima etapa é definir KPIs ou métricas de sucesso para identificar o alcance desse metas à medida que a campanha avança. Para uma empresa de comércio eletrônico, essas métricas podem incluir tráfego do site, novos assinantes de email, conversões ou mesmo alcance de público em mídias sociais.

Somente após a identificação das metas e métricas é que o planejamento da estratégia de conteúdo pode começar.

Na nossa próxima aula, vamos te ensinar a usar as redes sociais para vender mais na sua loja virtual, começando no planejamento, escolhendo bem as mídias, e vamos te dar dicas práticas de como utilizar cada uma delas.

Quarta-feita tem conteúdo novo 😉

Truque simples para aumentar engajamento e vendas na sua loja virtual

E se eu te disser que uma técnica simples, que leva 15 minutos para implementar, pode engajar muito mais os visitantes da sua loja? 

O chat online é uma forma prática e eficaz de manter a proximidade com o seu cliente, se mostrar disposto a tirar dúvidas e entender o que falta para efetivar a compra na sua loja e hoje vamos falar como instalar um bom sistema de chat para aumentar as vendas da sua loja.

Existem várias ferramentas disponíveis no mercado, mas hoje quero falar de uma especialmente. Aqui na Supersônica utilizamos o JivoChat, porque além das funcionalidades tradicionais de conversa, ele dispõe de funções e recursos que contribuem diretamente para o crescimento do seu ecommerce.

Imagine que você tem em média 1000 pessoas visitando a sua loja e 500 delas apenas navegam e logo saem, não entram em contato pelo whatsapp, não efetivam compra, nem adicionam um produto no carrinho. Com um  chat online, esse cenário pode mudar e eu vou te mostrar por que.

4 motivos para implementar um novo chat hoje

Conversação ativa

Um chat online profissional permite chamar atenção do visitante, fazer perguntas e convidar ele para conversar antes que ele saia do site. Este é um dos recursos que mais me atrai no JivoChat e que mais contribui para o aumento nas vendas. Garantir que uma grande parte dos visitantes conversem com um atendente antes de sair do site aumenta expressivamente as vendas direta e indiretamente.

Vença objeções

Mesmo que o usuário não efetue a compra na hora, conversando com ele é possível entender quais as principais objeções do seu público. Essas são informações muito valiosas que vão guiar as próximas ações de melhoria dentro da sua loja.

Além do mais, é possível contornar essas objeções na hora da conversa e direcionar o cliente para efetuar a compra.

Melhore o atendimento

Atendimento diferenciado é um dos principais fatores de vendas em lojas virtuais. No geral, pessoas gostam de conversar com pessoas e se sentem mais a vontade para comprar quando tem um atendimento mais humanizado. Por isso, vale a pena investir em uma ferramenta para ajudar no atendimento ao cliente.

Facilidade de instalação

O JivoChat é fácil de instalar e integrável com várias plataformas, de gerenciadores de conteúdo e criadores de site como WordPress e Wix, até plataformas de loja virtual, como Loja Integrada, xtech, Nuvenshop e outros serviços como Hotmart, Zapier e RdStation. Além disso é possível implementar de forma muito fácil com o Google Tag Manager ou adicionando o código html manualmente.

Vou te mostrar como:

  1. Primeiro, clique aqui e faça o seu cadastro gratuitamente. É muito fácil e inclusive pode usar a sua conta Google para entrar. Depois de preencher uns poucos dados, você vai ter uma tela semelhante a esta:
  2. Agora é hora de instalar o aplicativo, disponível para Windows, Mac, Android e iPhone. Isso vai possibilitar atender e conversar com os seus clientes em qualquer lugar. Além disso, você recebe notificações e pode iniciar o atendimento muito rápido. Isso é importante para aumentar a sua conversão e vendas.
  3. Após baixar o aplicativo, é só instalar o código no seu site utilizando as instruções para instalação. Encontre a plataforma que você utiliza ou encontre a melhor opção. A instalação é muito simples, podendo ser feita manualmente no código do seu site ou utilizando o Google Tag Manager, além de outras opções.

Existem várias opções, mas se precisar pode conversar comigo que eu te mostro essa e outras formas de aumentar as vendas da sua loja virtual

Já analisamos várias ferramentas e o JivoChat foi a que teve o melhor custo-benefício e que realmente contribuiu para melhorar o atendimento e aproximar os nossos clientes dos clientes deles. A mensalidade é bem confortável pra pequenos negócios e os recursos do plano PRO realmente compensam o pagamento.

O mais legal é que você pode manter o plano gratuito depois de testar o Plano Profissional por 14 diasAgora você está pronto para levar o seu atendimento para outro nível 🙂

 

Supersônica #10 – Crescimento na China dá luz a outras economias

A crise do coronavírus começou na China, no fim do ano passado e um mês depois, o país parou. Quase todas as fábricas foram fechadas e o comércio congelou. Milhões de pessoas foram colocadas em quarentena.

Os impactos disso na economia foram gigantes e logo uma das maiores economias do mundo estava na lama. Porém, no mês seguinte, com a pandemia local relativamente controlada, as empresas voltaram a operar.Alguns dados mostram que 75% de toda capacidade produtiva do país foi retomada. A Xiaomi, por exemplo, terceira maior fabricante de smartphones do mundo, disse que 90% das suas vendas foram restabelecidas. E a atividade industrial chinesa cresceu em março, segundo o índice PMI.O que começamos a ver é um movimento chamado “Curva V”. Isso significa que, com base nos primeiros indicadores, a economia vai se recuperar na mesma velocidade em que caiu.Como crescer na criseO grande problema é que esse fenômeno não é natural, ou seja, não é um padrão que vai necessariamente acontecer em outros lugares. Para se recuperar nessa velocidade, as empresas chinesas agiram especificamente em alguns pontos.Observando as ações de empresários chineses e somando com as medidas tomadas pelas empresas brasileiras após a crise de 2008 é possível dizer como provocar a “Curva V” na grande maioria das empresas.
É necessário se adaptar rapidamente e se fortalecer. Quem entender isso rápido vai crescer rápido também.Eu preparei uma mentoria online que ajuda empresas a se transformar agora e não depender de fatores externos para crescer. Se quiser saber como funciona é só clicar aqui.
Este é o último artigo desta série criada para ajudar empresários a lidar com os efeitos da crise. Sabemos que ela está aí e precisamos lidar com a situação, mas o mais importante nesse momento é agir.Para muitos a crise é uma oportunidade de crescimento e eu quero te ajudar a crescer. Se essa série te ajudou de alguma forma, deixa o teu comentário e me segue no instagram.

Supersônica #9 – Como se destacar num mercado em crise

Uma pesquisa realizada com quase 5 mil empreendedores mostrou que 56% das empresa estão lutando contra os efeitos da crise. Segundo os dados coletados, essas empresas ainda estão tentando manter clientes e equilibrar o fluxo financeiro.

A crise vai passar, vai afetar muitos negócios, mas não vai durar pra sempre. O sucesso futuro depende de como lidamos agora com a situação. Quando a crise passar os que estiverem se preparado vão dominar o mercado. Por isso, esse é o momento de pensar em como virar o jogo a seu favor.

O que é o “ponto de virada”

Pra exemplificar vamos usar o exemplo de uma empresa brasileira de educação executiva, que ficou 15 dias zerada e transformou o modelo que representava 2% na principal fonte de receita.

No início da pandemia, A StartSe perdeu 98% do faturamento, que vinha principalmente de cursos presenciais e treinamentos e passou 15 dias seguidos com a receita praticamente zerada. Hoje, conseguiram recompor 60% da receita ofertando mais cursos online, passaram a fase crítica e experimentam novos produtos e novas estratégias de venda. Na época, apenas 2% da receita vinha do modelo digital.

No caso da StartSe, eles já tinham uma base sólida no digital e isso contribuiu para que aumentasse a receita por outro canal, mas existem vários casos de empresas que tem pouca base e buscaram alternativas: academias estão migrando, mercados e hortifruti trabalhando com drive-thru e retirada de produtos, serviços de delivery estão crescendo, serviços de educação estão se adaptando.

Isso mostra que toda e qualquer empresa que realmente resolva algum problema pode continuar operando, só é preciso pensar em como fazer isso e não deixar a empresa parar.

 

Como manter a empresa funcionando durante a crise

Neste artigo, eu dei algumas dicas para manter o seu negócio funcionando. Em resumo, é importante se manter ativo nas redes sociais, manter contato com o cliente, entender quem ele é e como toda essa situação mudou o comportamento de compra dele e buscar formas de ajudar.

Mas teve uma coisa que eu não falei e vou falar agora: buscar formas alternativas de receita, adaptar o seu modelo de negócio de forma a continuar trabalhando e vendendo mesmo que o teu formato de trabalho anterior tenha se tornado impraticável hoje.

Este será o seu ponto seu ponto virada, o momento que você conseguir se adaptar e gerar receita com o fruto dessa adaptação.

Os empresários chineses são um grande exemplo disso: escolas mudaram para o ensino online, beneficiando mais de 230 milhões de alunos chineses. Academias apostaram em aulas coletivas domiciliares através de videochamada. Bares começaram a transmitir seus DJs tocando ao vivo, houve também um crescimento exponencial do número de entregas de refeições de restaurantes e produtos frescos de supermercado.

 

Isso causou o que chamamos de curva V, que eu vou falar em um outro artigo.

Mas se você acha difícil se adaptar no seu mercado e não enxerga formas de virar o jogo, eu posso te ajudar. Clica aqui que eu te mostro como.

Sem dúvida não é fácil virar o jogo, mas o que a sua empresa fez que está funcionando? Comenta aqui embaixo 🙂

Se você leu até aqui e de alguma esse texto te ajudou e fez sentido pra ti, compartilha, me segue no instagram.

 

Supersônica #7 – O que aprendemos dos empresários chineses na crise

Hoje vamos falar de habilidades socioemocionais que podem impactar muito na forma como cada um de nós lida com a mudança que a está acontecendo.

A china é uma das maiores economias do mundo e a forma como lidaram com o Covid-19 é algo a ser estudado. Além disso, o crescimento econômico desde os anos 70, não foi causado apenas por reformas econômicas.

Existe um conjunto de habilidades que vão além do pensamento lógico, proficiência em cálculos, conhecimento técnico ou qualquer outra habilidade que possa ser quantificada e estão muito arraigadas à cultura oriental.

Essas são algumas características socioemocionais podem impactar muito na forma como cada um de nós lida com a mudança que a está acontecendo:

Disciplina

Um dos fatores que ajudou a frear a transmissão do vírus também é um dos responsáveis pelo desenvolvimento de profissionais. A disciplina é aquela habilidade que nos faz manter a consistência, criar bons hábitos, mesmo que pequenos, e nos ajudam a chegar ao nosso objetivo.

A educação é muito rigorosa e acaba causando uma grande competitividade, que particularmente não vejo como uma coisa positiva. Mesmo assim, as crianças são ensinadas desde cedo a desenvolver disciplina e isso pode nos ajudar a lidar tanto com a pandemia em si, como com os reflexos dela na economia e nos nossos negócios.

Redes de Relacionamento

Na China é utilizado o termo “guanxi”, que não tem uma tradução literal, mas conseguimos entender como uma “rede de relacionamento”. Ao agir com guanxi, os chineses cuidam um dos outros, pensando primeiramente em grupo do que no individual. Eles ajudam uns aos outros e esperam ser apoiados pela mesma rede caso um dia precisem.

Em tempos de crise, isso é especialmente importante. Quando criamos relacionamentos, ao invés apenas vender, vamos formar laços e isso contribui para o fortalecimento de negócios. 

Resiliência e pragmatismo 

Em um momento de crise, caso um negócio não possa continuar, eles fecham e seguem em frente. Sem remorso, sem ressentimentos.

Deixar um negócio pra trás e seguir em frente não é sinal de fraqueza e não quer dizer que você desistiu. A resiliência, a capacidade de se adaptar é outra característica essencial em tempos de crise. Não esperamos que as coisas aconteçam sempre do nosso jeito e se o pior acontecer, nos adaptamos e a vida segue.

Criatividade / inteligência adaptativa

Desde o início da propagação do virus, lojas, restaurantes e bares viram uma diminuição brusca no número de clientes, o que causou levou muitos a fecharem as portas. 

Porém, houve também um crescimento exponencial do número de entregas de refeições de restaurantes e produtos frescos de supermercado. Escolas mudaram para o ensino online as aulas dos mais de 230 milhões de alunos chineses. Academias apostaram em aulas coletivas domiciliares através de videochamada. Bares começaram a transmitir seus DJs tocando ao vivo.

Todo ser humano é criativo e isso não está relacionado com as suas habilidades gráficas e artísticas, mas com a habilidade de se adaptar e resolver problemas.

 


 

O bom profissional que somos não é medido apenas pela quantidade de certificações, ou o nível mais alto que chegamos na formação universitária. Existem habilidades naturais a todos os seres humanos, como empatia, flexibilidade e até a intuição.

Dizem que a intuição trabalha num cenário complexo melhor do que a razão. Quando temos que tomar decisões muito rápido e não temos tempo de calcular, é ela que nos ajuda a lidar com a situação.

Uma das coisas que eu gosto de dizer é que a situação atual pode nos ajudar e ensinar muito. A “crise do coronavírus” nos fez sair da zona de conforto. Isso é bom! Temos oportunidade de buscar coisas novas para sair da crise. E você, o que está te ajudando a lidar com tudo isso? Comenta aqui embaixo 😉

Supersônica #6 – Você ignora 97% do seu mercado

Se você colocar todo o seu mercado em potencial dentro de um estádio e começasse a falar sobre o seu produto, quantos ficariam pra escutar?

É importante entender a forma como estamos nos comunicando com os nossos clientes, e ainda mais em momentos de crise, onde precisamos de vendas e nem todo mundo está disposto a comprar.

Boa parte das empresas se importa apenas com os clientes que estão querendo comprar agora, e consequentemente ignoram todo os resto.

Chet Holmes, especialista em marketing e vendas, escritor do famoso best-seller “Ultimate Sales Machine”, propõe que apenas 3% do seu público está realmente pronto para comprar. Segundo ele, se colocasse todo o seu público potencial dentro de um estádio e começasse a falar sobre a sua solução, 90% das pessoas iriam embora.

Os 7% “curiosos”

Se você parou pra calcular, percebeu que 90% não estão interessados, 3% comprariam e sobrariam 7%, correto? Estas são pessoas dispostas a ouvir sobre a sua solução. É a parcela do público que conhecemos como curiosos e nem sempre damos a devida importância.

Na verdade, sempre vejo extremos. Ou são entregues ao time comercial ligar insistentemente até queimar, ou são ignorados em uma lista de contatos até esfriar, mas com uma comunicação específica, automatizada e personalizada, é fácil extrair compradores deste público.

O que fazer com os outros 90%

Se apenas 10% do seu mercado está pensando em comprar, 30% não estão pensando na sua solução, 30% acreditam não estar interessados e os 30% restantes realmente não querem comprar.

Isso quer dizer que boa parte do investimento em mídia é usado para atingir pessoas que não estão ou acham que não precisam do seu produto. Faz sentido o investimento? Sim! A idéia não é descartar mídias, mas agregar.

Lições sobre canais de atração

Pense em como você está investindo os seus esforços de marketing e se não está trazendo resultados, entenda como fazer isso. Além do marketing de conteúdo, campanhas em redes sociais e Google Ads, existem pelo menos outras 16 formas de captar clientes.

Lembra do artigo sobre colher frutos de forma mais fácil? Quando você colhe os frutos mais fáceis de uma árvore, começam a sobrar os mais difíceis e talvez seja a hora de olhar pra árvore do lado. Quanto mais utilizamos uma forma de atrair clientes, mais o nosso concorrente também usa. Se hoje gastamos mil reais para atrair 100 clientes, amanhã esse valor vai trazer 80, ou 50, ou menos. E não é isso que queremos.

A idéia é utilizar canais necessários para atrair clientes de forma eficiente, sem desperdiçar recursos. Mas pense que atrair clientes vai além de postar qualquer coisa em redes sociais, enviar emails e criar campanhas. E o volume de clientes vai depender do nosso sucesso de atuação não só no digital, mas na forma como nos comunicamos.

Se você leu até aqui e de alguma esse texto te ajudou e fez sentido pra ti, comenta aqui embaixo e me segue no instagram 🙂

Supersônica #5 – Priorizando tarefas de maneira inteligente

Não é imediatismo, nem só por querer chegar mais rápido. Queremos colher frutos pelo caminho e não apenas olhar para o destino.

Nem sempre é fácil saber o que fazer primeiro. No artigo sobre low-hanging fruits (onde eu eu explico o que é isso), falei sobre a dificuldade deste que vos fala de priorizar tarefas e focar nas que foram priorizadas.

Por conta disso, comecei a utilizar uma metodologia que normalmente é aplicada no Growth Hacking para priorizar ações que vão trazer benefícios mais rápido, para colher resultados mais rápido em tudo o que eu faço.

Essa metodologia é conhecida como ICE score e funciona assim:

Passo zero: definir objetivo

Antes de iniciar é necessário saber onde chegar, então entenda onde você está e para onde quer ir e faça isso com consistência. Não espere apenas dominar o mundo, entenda o que você está fazendo todos os dias, dando um passo nessa direção.

Correr pode ser apenas desperdício de energia se estiver na direção errada.

Se estiver pensando em algo para a sua empresa, evite coisas tipo “ser a referência no meu mercado”, isso é subjetivo demais. Ao invés disso, pense em como você pode ajudar outras pessoas entregando a sua solução. Defina a sua métrica de sucesso. Se quiser que eu fale mais sobre isso é só deixar um comentário 😉

Saiba o que fazer para alcançar o seu objetivo

A princípio não tem mistério: papel, caneta, Trello, Google Docs, Evernote, Wunderlist, Excel ou qualquer outra ferramenta que seja confortável para anotar.

O importante é listar tudo o que pode ajudar a alcançar o objetivo definido no item anterior. Coloque tudo no papel ou no software escolhido e não exclua nada. Este não é o momento de dizer o que é fácil e o que é difícil, apenas tenha o máximo de ideias documentadas.

Comece a priorizar

Definidas as ideias, vamos avaliar cada uma delas. Os critérios de avaliação serão os seguintes:

  • Impacto: O quanto isso vai me levar até o objetivo final?
  • Confiança: Acredito que fazer isso vai me deixar mais perto do meu objetivo?
  • Facilidade: Quão fácil e barato (tanto em $ como tempo) de executar?

Agora definimos, para cada ideia, um número de 1 a 5 em cada critério de avaliação. 

Exemplo:

“Eu quero ter 100 pessoas utilizando o meu produto. Para entender os benefícios, o cliente precisa ir até a etapa X.”

Para alcançar esse objetivo você teve as seguintes ideias:

Ideia 1: Dar 15 dias de teste grátis com acompanhamento de um consultor para cada cliente que não chegou a essa etapa.

  1. Impacto: 10. Você entende que metade dos usuários vão continuar usando se chegar até a etapa X.
  2. Confiança: 8. Alguns clientes antigos ficaram frustrados, mas podem mudar de ideia se um consultor pegar ele pela mão e levar até lá.
  3. Facilidade: 4. Acompanhar um cliente até esta etapa exige muito do consultor e isso vai ocupar metade do tempo dele. Além disso não temos muitos disponíveis.
  4. Resultado: 7,3

 

Ideia 2: Criar um vídeos educativos mostrando como funciona cada etapa do processo e como o cliente pode ser beneficiado com isso.

  • Impacto: 7. Pode tirar algumas dúvidas para o usuário, mas nada como ter alguém guiando pela mão.
  • Confiança: 8. Vai ser educativo e vai ajudar o usuário. O conteúdo é divertido e pode ajudar a reduzir a frustração anterior.
  • Facilidade: 9. Os conteúdos são fáceis de produzir e ser colocados no ar. Depende de um mínimo trabalho
  • Resultado: 8

 

O que fazer primeiro: ideia 2. Apesar de não impactar tanto no aumento de usuários, é muito mais rápido de chegar até esse número no curto prazo, sem comprometer o tempo de um consultor.

Esse é só um exemplo e essa técnica pode ser usada para escolher o melhor formato de produção de conteúdo, entender qual o melhor canal para adquirir clientes e até para saber quais as tarefas mais importantes do seu dia.

Obviamente, não é a solução perfeita para tudo e, como qualquer metodologia, existem exceções e aplicações. O importante é buscar uma forma de gastar menos energia e dar um passo de cada vez.

Se você leu até aqui e de alguma esse texto te ajudou e fez sentido pra ti, comenta o que achou e me segue no instagram 🙂

Supersônica #4 – Low-hanging fruits e a otimização da sua lista de tarefas

Pense nas suas oportunidade de expansão como uma árvore cheia de frutas. Todas são iguais. Qual fruta você pega primeiro? A que está ao alcance da mão ou a que ta no topo da árvore? 

Muitas empresas preferem a do topo da árvore, mesmo com algumas ao alcance das mãos. Seja porque a idéia parece mais legal, por aquela visão de que empreendedor precisa se sacrificar trabalhando 18 horas por dia ou simplesmente por não enxergar oportunidades fáceis.

Em meio a uma crise, energia é um item caro e não podemos gastar em ações que não sabemos se vão trazer resultados ou demorar muito. Temos que pensar na praticidade para alcançar o nosso objetivo.

No primeiro dia eu me desculpei por não ter postado o conteúdo em vídeo como tinha prometido e hoje eu vou explicar o motivo.

Eu acredito de verdade que é possível todo mundo se ajudar compartilhando as suas idéias, mostrando como está superando a crise, ajudando e orientando o amiguinho e o meu papel aqui é fazer o mesmo. Ajudar e orientar criando conteúdo todos os dias e abrindo espaço para vocês fazerem o mesmo. Acredito que todos nós podemos agregar de verdade. 

Mas nem sempre é fácil executar. Eu sempre quis criar conteúdo, mas só agora eu me forcei a fazer isso todos os dias, pois realmente acredito que pode ser de ajuda. Estou planejando esta série de conteúdos há algumas semanas, me preparei para fazer vários vídeos e comecei a gravar um pouco antes. No meio do caminho tive problemas com áudio, com o vídeo que não gravava, com os formatos e codecs que não encaixam com o software de edição e por isso não saiu o vídeo do primeiro dia. Eu passei o dia tentando “fazer dar certo”, mas em determinado momento eu consegui enxergar além.

Eu percebi que o que importa não é o formato, mas o conteúdo. Entendo que nem todo mundo gosta de ler e consumir conteúdo em vídeo é muito mais intuitivo hoje. Mas também sei que seria um “high-hanging fruit”, um fruto alto demais pra eu pegar naquele momento. O esforço seria muito grande e eu usaria um tempo que eu estou usando para mostrar pra outras pessoas como elas podem vencer a crise e se reinventar.

Eu não vejo isso como fracasso, mas respeito quem acredita ser. Não precisamos ter a mesma opinião e está tudo bem. Os conteúdos em outros formatos estão sendo produzidos, mas esta é a hora de ter certeza que o esforço vai realmente impactar positivamente. Se esse conteúdo, está te ajudando de alguma forma, deixa nos comentários. É uma coisa simples que nos motiva a ir adiante.

Eu sei que esse texto parece mais um desabafo, mas é o exemplo que mais se aproxima do conceito de “Low Hanging Fruit”, ou colher frutos mais fáceis, mais próximos e eu usei o meu caso pra mostrar que com ações mais simples podemos ter um impacto positivo no nosso crescimento. Essa analogia é usada no Growth Hacking, um método de aceleração de crescimento que aplicamos para ajudar os nossos clientes a entender o que é mais fácil fazer primeiro para alcançar o seu objetivo.

No próximo artigo eu explico o passo a passo para priorizar tarefas, focando no que vai ser mais fácil de fazer e trazer maior resultado, seja no marketing, vendas ou outros processos que você executa na sua empresa.

Se você leu até aqui e de alguma esse texto te ajudou e fez sentido pra ti, compartilha, me segue no instagram 🙂

1 2