Hoje vamos falar de habilidades socioemocionais que podem impactar muito na forma como cada um de nós lida com a mudança que a está acontecendo.

A china é uma das maiores economias do mundo e a forma como lidaram com o Covid-19 é algo a ser estudado. Além disso, o crescimento econômico desde os anos 70, não foi causado apenas por reformas econômicas.

Existe um conjunto de habilidades que vão além do pensamento lógico, proficiência em cálculos, conhecimento técnico ou qualquer outra habilidade que possa ser quantificada e estão muito arraigadas à cultura oriental.

Essas são algumas características socioemocionais podem impactar muito na forma como cada um de nós lida com a mudança que a está acontecendo:

Disciplina

Um dos fatores que ajudou a frear a transmissão do vírus também é um dos responsáveis pelo desenvolvimento de profissionais. A disciplina é aquela habilidade que nos faz manter a consistência, criar bons hábitos, mesmo que pequenos, e nos ajudam a chegar ao nosso objetivo.

A educação é muito rigorosa e acaba causando uma grande competitividade, que particularmente não vejo como uma coisa positiva. Mesmo assim, as crianças são ensinadas desde cedo a desenvolver disciplina e isso pode nos ajudar a lidar tanto com a pandemia em si, como com os reflexos dela na economia e nos nossos negócios.

Redes de Relacionamento

Na China é utilizado o termo “guanxi”, que não tem uma tradução literal, mas conseguimos entender como uma “rede de relacionamento”. Ao agir com guanxi, os chineses cuidam um dos outros, pensando primeiramente em grupo do que no individual. Eles ajudam uns aos outros e esperam ser apoiados pela mesma rede caso um dia precisem.

Em tempos de crise, isso é especialmente importante. Quando criamos relacionamentos, ao invés apenas vender, vamos formar laços e isso contribui para o fortalecimento de negócios. 

Resiliência e pragmatismo 

Em um momento de crise, caso um negócio não possa continuar, eles fecham e seguem em frente. Sem remorso, sem ressentimentos.

Deixar um negócio pra trás e seguir em frente não é sinal de fraqueza e não quer dizer que você desistiu. A resiliência, a capacidade de se adaptar é outra característica essencial em tempos de crise. Não esperamos que as coisas aconteçam sempre do nosso jeito e se o pior acontecer, nos adaptamos e a vida segue.

Criatividade / inteligência adaptativa

Desde o início da propagação do virus, lojas, restaurantes e bares viram uma diminuição brusca no número de clientes, o que causou levou muitos a fecharem as portas aprire questo

Porém, houve também um crescimento exponencial do número de entregas de refeições de restaurantes e produtos frescos de supermercado. Escolas mudaram para o ensino online as aulas dos mais de 230 milhões de alunos chineses. Academias apostaram em aulas coletivas domiciliares através de videochamada. Bares começaram a transmitir seus DJs tocando ao vivo.

Todo ser humano é criativo e isso não está relacionado com as suas habilidades gráficas e artísticas, mas com a habilidade de se adaptar e resolver problemas.

 


 

O bom profissional que somos não é medido apenas pela quantidade de certificações, ou o nível mais alto que chegamos na formação universitária. Existem habilidades naturais a todos os seres humanos, como empatia, flexibilidade e até a intuição.

Dizem que a intuição trabalha num cenário complexo melhor do que a razão. Quando temos que tomar decisões muito rápido e não temos tempo de calcular, é ela que nos ajuda a lidar com a situação.

Uma das coisas que eu gosto de dizer é que a situação atual pode nos ajudar e ensinar muito. A “crise do coronavírus” nos fez sair da zona de conforto. Isso é bom! Temos oportunidade de buscar coisas novas para sair da crise. E você, o que está te ajudando a lidar com tudo isso? Comenta aqui embaixo 😉